sábado, 27 de fevereiro de 2010

Meta do mês de março: ler 8 livros

Não é novidade que não temos muito tempo disponível para ler. Para nos orientar, fazemos listas de livros e estipulamos metas de quantidade de leitura. A minha meta é anual (60 livros para este ano), mas estamos em fevereiro e ela já está ameaçada.

Para alcançá-la, preciso ler 5 livros por mês. Em janeiro, li 4. Em fevereiro, não li nenhum (falta um dia, mas não acho que vou completar um livro até lá). O que aconteceu? Comecei vários livros e não terminei e muitos dias precisei trabalhar até mais tarde. 

Então, para tentar remediar o estrago, vou tentar ler 8 livros no mês de março, ou seja, 2 livros por semana. Eis os escolhidos:

 

Marta, órfã de mãe desde o nascimento, é criada por sua velha ama e pelo pai, um homem extremamente zeloso e incestuosamente atraído pela filha. Jerônimo, jovem pretendente da protagonista, é sua grande oportunidade de libertação. Estes quatro personagens convivem ao longo das de fortes nuanças psicológicas e eróticas, que jamais resvalam para a obscenidade. Nélida Piñon mergulha fundo na personalidade de Marta, explorando seus conflitos, dramas, frustrações e paixões em um jogo ficcional que aproxima o leitor dos personagens. Escrita em uma linguagem densa e poética, A casa da paixão revela uma Nélida tão brilhante quanto em seus outros romances. 
Fonte: Editora Record




O Morro dos Ventos Uivantes é uma história de amor que se desenrola num cenário medieval, com personagens melodramáticos que criam um clima de mistério, vingança, sofrimento e uma forte paixão vivida por Catherine Earnshaw e seu irmão adotivo, o cigano Heathcliff.
Considerado como um dos romances mais importantes da literatura inglesa e mundial, O Morro dos Ventos Uivantes (Wuthering Heights) foi escrito em 1847 por Emily e foi sua única obra em prosa. Já foi adaptado diversas vezes para o cinema, rádio e tv. A versão de 1939 é a mais reconhecida, ganhadora do Oscar de melhor fotografia e indicado para outras sete premiações, tendo Laurence Olivier, David Niven e Merle Oberon, como as personagens principais. As versões mais recentes são as de 1992, estrelada por Juliette Binoche e Ralph Fiennes, e uma modernização de 2003, produzida pela MTV.
Fonte: Livraria da Travessa.
Releitura.

 

O primeiro e mais premiado romance do chileno Luis Sepúlveda está de volta, após ser traduzido em inúmeros países. O autor baseia-se em sua experiência na Amazônia para contar a história de António Bolívar, um homem que vai viver com a mulher na maior floresta tropical do mundo e aprende que a vida na selva não é para qualquer um. Ao sentir necessidade de se transportar para um universo idílico, longe da cruel realidade da vida, António passa a se interessar por romances de amor.  
Fonte: Livraria da Travessa

 

No final da Segunda Guerra Mundial, numa villa abandonada na Itália, quatro pessoas vivem um encontro inusitado: uma jovem enfermeira cuja vida foi devastada pela guerra; um inglês desconhecido e moribundo, sobrevivente de um desastre de avião; um ladrão cujas “habilidades” acabaram por fazer dele um herói de guerra; e um soldado indiano especialista em desmonte de bombas, a quem três anos de guerra ensinaram que “a única segurança está em si mesmo”. O livro revela os caminhos e detalhes de quatro vidas capturadas e modificadas e agora inextricavelmente ligadas pelas circunstâncias brutais e improváveis da guerra. 
Fonte: Livraria da Travessa


 
No efervescente Rio de Janeiro do início do século XX, um assassinato escandaliza o mundo literário; com um tiro pelas costas, o escritor Gilberto Amado mata seu colega de letras, o poeta Annibal Theophilo. O crime, que realmente aconteceu em 1915, é o ponto de partida de 'O Sorriso da Sociedade', romance-reportagem de Anna Lee. Ancorada em mais de um ano de pesquisas sobre o período, a autora entremeia ficção e fatos históricos para traçar um painel da sociedade durante a chamada Belle Époque tropical. Ambientado num dos momentos mais ricos da vida cultural da cidade e do país, o livro retrata uma sociedade em transformação. São os anos da reforma do prefeito Pereira Passos, dos chás na Confeitaria Colombo, da burguesia ascendente que se sentia em Paris. Ao mesmo tempo, era época de mudanças profundas na organização da cidade, que se modernizava - às custas do que ficou conhecido como o Bota Abaixo! - com programas de saneamento e vacinação obrigatória.
Fonte: Livraria da Travessa


O diário de Anne Frank, Anne Frank
Publicado originalmente em 1947, O Diário de Anne Frank já foi lido por milhões de pessoas em todo o mundo. Esta edição, porém, traz pela primeira vez a íntegra dos escritos de Anne, com todos os trechos e anotações que o pai da menina cortou para lançar a versão conhecida do livro. É comovente descobri que, no contexto tenebroso do nazismo e da guerra, ela viveu problemas e conflitos de uma adolescente de qualquer tempo e lugar. Neste volume, o leitor acompanha o desabrochar da sexualidade de Anne, surpreende-se com a relação conflituosa que a jovem tinha com a mãe e se emociona com sua admiração sem reservas pelo pai. Anne registrou admiravelmente a catástrofe que foi a Segunda Guerra Mundial. Seus diário está sempre entre os documentos mais duradouros produzidos neste século, mas é também uma narrativa terna e incomparável, que revela a força indestrutível do espírito humano
Fonte: Livraria da Travessa 






O garoto no convés, John Boyne
Em abril de 1789, semanas após concluir no Taiti uma curiosa missão com fins botânicos — coletar mudas de fruta-pão para alimentar os escravos nas colônias inglesas —, o navio de guerra britânico HMS Bounty foi palco de uma revolta de parte da tripulação contra o capitão William Bligh, que acabou deixado à própria sorte em um bote em alto-mar junto com os marinheiros ainda fiéis a seu comando. Sem provisões e instrumentos de navegação adequados, o grupo enfrentou 48 dias de duras provações até alcançar a costa do Timor. O episódio inspirou numerosos livros e filmes. Neste livro, a história da expedição é narrada do ponto de vista de John Jacob Turnstile, um garoto de Porstmouth, sul da Inglaterra, que sofre abusos de toda sorte, inclusive sexuais, no orfanato e pratica pequenos furtos nas ruas da cidade. Detido pela polícia após roubar um relógio, é salvo pela própria vítima do roubo quando esta lhe faz uma proposta: em vez de ficar encarcerado, embarcaria no HMS Bounty para passar pelo menos dezoito meses como criado particular do respeitado capitão Bligh. Turnstile aceita a barganha, planejando fugir na primeira oportunidade. Mas a rígida disciplina da vida no mar e uma relação cada vez mais leal com o capitão transformarão sua vida para sempre. É pela voz desse adolescente insolente e sagaz, mas ao mesmo tempo frágil e ingênuo, que o leitor acompanhará uma viagem repleta de intrigas, tempestades instransponíveis, cenários exóticos e lições de lealdade, paixão e sobrevivência.
Fonte: Livraria da Travessa
.

Para completar, o oitavo livro é A décima terceira história.

3 comentários:

  1. Oi Adriana!!
    Estou passando para conhecer o blog, muito legal a sua meta, eu mantenho sempre a meta de 4 livros por mês (1 por semana), nem sempre dá né? mas a gente tenta.
    Bjus e Boa semana!

    ResponderExcluir
  2. Adriana, sei muito bem como é essa angústia. Minha meta não é muito diferente, mas não sei se chegarei a cumpri-la. O que importa é ler, ler sem pressa, por prazer, por deleite, então vou fazendo assim... se conseguir, ótimo. Destes, O Diário de Anne Frank também está na minha lista de leituras para este ano. Beijos.

    ResponderExcluir
  3. Oii,
    Vi que você está participando da promoção "A esperança tem muitas faces" no blog da Juh e gostaria de te convidar para participar da mesma promoção "A esperança tem muitas faces" que está acontecendo no meu blog.
    Meu blog é Uma Janela Secreta, espero que goste!
    O link da promoção é:
    http://umajanelasecreta.blogspot.com/2010/02/promocao-esperanca-tem-muitas-faces.html


    Obrigada!
    Beijos! Cel =D

    ResponderExcluir

Olá!

Muito obrigada por visitar o blog.
Espero que você tenha gostado.
O seu comentário será muito bem-vindo.